Como planejar uma viagem com bebê: manual prático com 28 dicas essenciais (mais bônus)

Pensar em planejar uma viagem com bebê não parece uma tarefa das mais fáceis, não é verdade?

Na prática, tudo o que envolve a vida de um bebê, principalmente para pais e mães de primeira viagem, resulta em infinitas perguntas e poucas respostas.

Os bebês, feliz ou infelizmente, não chegam ao mundo com manual de instruções.

Sabemos, entretanto, que bebês dos 3 aos 6 meses são considerados ótimas companhias de viagem. Não são tão frágeis, se adaptam com mais facilidade as mudança de ambiente e ainda demandam relativamente poucos cuidados.

Se o bebê estiver com os pais, alimentado, limpo, em uma temperatura agradável, estará bem.

No nosso caso, uma viagem nos 6 primeiros meses de vida da nossa pequena era fundamental. Tanto para burlar o stress do dia a dia do papai, envolto entre os pensamentos na paternidade e as tarefas da empresa. Quanto para aproveitar a licença maternidade e dar uma relaxada na mamãe, preocupada com a passagem dos “blocos” da zika, da febre amarela e da greve da Polícia Militar.

Se você, assim como eu, está planejando uma viagem com bebê, você está no lugar certo. Para te ajudar nessa empreitada, irei compartilhar 28 dicas essenciais e testadas por outros pais para planejar a sua viagem.

Nesse pequeno manual, você irá encontrar orientações da escolha do destino ao arranjo da bagagem para que o planejamento da viagem com bebê seja uma atividade tranquila dessa grande e impressionante aventura que é a maternidade.

Minha intenção é fazer você aproveitar melhor seu tempo, principalmente no início da jornada (que costuma ser o mais complicado) e se sentir seguro(a) para viajar sem neuras.

Afinal, começar com o pé direito e com boas orientações de quem já passou por isso irá, sem sombra de dúvidas, minimizar os contratempos.

Preparado(a)?

Passo #1. Escolhendo o destino para a viagem com bebê

Antes da “chegada” da baby, o item definitivo para a escolha do destino da nossa próxima viagem era o orçamento. Fato!

Primeira viagem com bebê
[foto de Julia Gabriela Fotografia]
A pequena chegou e outras questões que consideramos importantes para a nossa segurança foram para a balança para a viagem com bebê: meio de transporte, duração do trajeto, tempo de conexão, infraestrutura local e deslocamentos internos.

Na nossa opinião, alguns destinos são mais complicados para viajar com bebês pela primeira vez.

Um destino que exige horas em estrada de terra talvez não seja o ideal. Um vilarejo desconhecido, sem atendimento médico, não é o melhor dos mundos, não é verdade?

DICA 1 – Enumere as características que um determinado lugar deve apresentar para que você se sinta seguro(a) com o seu bebê.

Por isso, para decidir o nosso destino, começamos por excluir da nossa lista de lugares que queremos conhecer aqueles de praia (já que o sol, a areia e o sal poderiam irritar a pequena, acreditamos que a praia não seria uma boa opção para a viagem com bebê).

Posteriormente, retiramos os países mais distantes e aqueles cuja infraestrutura não é das melhores.

Para finalizar, excluímos os destinos mais caros (afinal, os gastos no final da gravidez são altos) e acabamos com Portugal e Chile.

Como queremos viajar por Portugal de carro e a baby ainda não está muito feliz em sua cadeirinha, optamos pelo Chile. Voilá, o nosso destino estava decidido!

DICA 2 – Tenha em conta o comportamento do seu bebê nos deslocamentos do dia a dia.

O mais importante, no final das contas, é que você enumere os itens indispensáveis para que você se sinta seguro(a) na viagem com bebê.

Passo #2. Quantos dias ficar

Na nossa opinião, os deslocamentos internos são os mais cansativos de uma viagem.

Os horários do check in e checkout dos hotéis podem não ser muito cômodos. E aguardar a hora do check in com um bebê nos braços não deve ser das atividades mais agradáveis, não é verdade?

Concluímos, dessa forma, que um mínimo de duas diárias em cada lugar seria indispensável.

O nosso roteiro ficou assim:

  • 2 noites no Vale do Colchágua;
  • 1 noite entre Santiago e Pucon (ônibus);
  • 5 noites em Pucon;
  • 3 noites em Puerto Varas;
  • 1 noite entre Puerto Varas e Santiago (ônibus);
  • 3 noites em Santiago.

DICA 3 – Estabeleça um mínimo de diárias para cada lugar que você deseja visitar, de forma que a viagem não se torne cansativa.

DICA 4 – Deixe para uma próxima visita aqueles lugares que demandam pouco tempo de visita e podem se tornar entediantes caso tenha que ficar duas noites.

Consideramos, ainda, que os tempos dos bebês e dos adultos são completamente diferentes.

Um lugar que antes visitávamos em duas horas pode passar a demandar cinco. Por essa razão, definimos o nosso roteiro com uma “folga” para cada lugar.

DICA 5 – Considere um tempo maior para conhecer cada lugar. Desta forma, você evitará possíveis frustrações caso não consiga conhecer aquele museu que é prioridade para você.

Passo #3. Planejando os deslocamentos na viagem com bebê

Como eu citei anteriormente, a nossa pequena não está muito contente na sua cadeirinha. Viajar de carro poderia se tornar um grande transtorno, com choros e paradas constantes.

Por esse motivo, decidimos desde o início que a nossa viagem seria realizada em ônibus e/ou avião. Faríamos somente algumas distâncias curtas em carro, se fosse necessário.

No caso do Chile, iremos de Vitória a Santiago em avião, com escala no Rio de Janeiro, e de Santiago a Região dos Lagos em ônibus noturno. A baby dorme muito bem a noite e os ônibus de viagem chilenos são conhecidos pela sua excelente qualidade.

Primeiro voo do bebê
[Bebê voando]
DICA 6 – Se o seu destino demanda uma conexão muito longa, considere passar uma ou duas noites no lugar, aproveitando o passeio.

Voo

Compramos o voo por pontos, lembrando de incluir a baby na compra.

O voo dela, ida e volta, custou 10% do valor da nossa passagem e não foram cobradas taxas de embarque, já que ela será transportada no colo.

DICA 7 – Considere a rotina do bebê para estabelecer o melhor meio de transporte para os deslocamentos.

DICA 8 – Não esqueça de comprar a passagem do seu bebê, informando a quantidade no campo indicado.

Para conhecer a região do Valle do Colchagua e percorrer os parques da região dos Lagos, optamos por alugar um carro.

Dentro das cidades, iremos utilizar o carrinho de bebê carrinho de bebê, que pode ser despachado na porta do avião sem custo adicional. Nos parques e trilhas, utilizaremos o canguru, a pequena adora e é super prático.

Curtindo meu carrinho
[Curtindo meu carrinho]
DICA 9 – Não deixe de levar o meio que você considera mais cômodo para carregar o bebê, de acordo com o tipo de viagem.

DICA 10 – Se a viagem for de avião, alimente o bebê ou dê a chupeta durante a decolagem e a aterrissagem pois o movimento de sucção ameniza uma eventual dor de ouvido.

Atualização: uma amiga relatou que é arriscado alimentar muito o bebê durante a decolagem e a aterrissagem. A pressurização pode fazer o alimento voltar. Ela passou por isso…

DICA 11 – Algumas companhias aéreas disponibilizam aqueles bercinhos portáteis que se acoplam aos painéis nas primeiras fileiras de poltronas. Vale a pena conferir, com antecedência, se o seu voo dispõe dessa comodidade.

Passo #4. Reservando a hospedagem

A hospedagem foi, sem sombra de dúvida, o item que mais mudou no planejamento da nossa viagem. Simplesmente porque alguns hotéis não aceitam crianças!

Por esse motivo, esse item entrou para a lista dos “eliminatórios”, como eu citei no meu 2º passo para reservar hospedagem.

Realizamos, ao todos, quatro reservas diferentes entre hotéis, pousadas e apartamentos para temporada, uma para cada destino. Todos sem custo adicional para bebês.

DICA 12 – Caso o seu bebê já se alimente com papinhas e afins, pode ser interessante reservar um lugar com cozinha disponível.

A nossa pesquisa foi realizada por meio do site do Booking, o qual possui informações específicas sobre a acomodação de crianças na aba “Bom saber”. Essa aba facilitou muito a consulta!

Como a nossa pequena dorme no carrinho ou no chão, a possibilidade de berço no quarto se tornou um item dispensável.

DICA 13 – Alguns hotéis disponibilizam berços sob requisição com ou sem custo adicional.

 

Está gostando desse artigo? Aproveite a oportunidade, cadastre o seu email e não perca os novos conteúdos do Mariana Por Aí.

FIQUE POR DENTRO
Insira aqui o seu email e receba todas as novidades do Mariana Por Aí!

Passo #5. Organizando a documentação

Assim como nós, adultos, a nossa pequena deverá “apresentar” pelo menos um documento de identificação para viajar.

Como optamos por um país do Mercosul, a identidade será suficiente. O passaporte custa caro e tem validade de um ano para bebês…

DICA 14 – Para embarcar em viagens nacionais, o bebê deverá “apresentar” um dos seguintes documentos: passaporte, carteira de identidade ou certidão de nascimento.

DICA 15 – Para embarcar em viagens internacionais na América do Sul (exceto Suriname e Guianas), o RG original é válido. Todos os outros países exigem a apresentação do passaporte com visto, se necessário.

DICA 16 – Para viagens internacionais com a companhia apenas do papai OU da mamãe, o acompanhante deverá apresentar uma autorização judicial ou autorização do outro genitor com firma reconhecida. Leve a autorização em três vias, uma para o aeroporto de origem, outra para o de destino e uma para acompanhar a criança. No caso de viagens nacionais, crianças de 0 a 12 anos com um dos pais ou um parente de até terceiro grau não precisam de autorização de viagem, desde que apresentem a devida comprovação de parentesco.

Passo #6. A alimentação

Uma das questões que mais pesou para viajarmos antes dos primeiros 6 meses da pequena foi a alimentação. Afinal, a nossa baby se alimenta somente de leite materno, o que diminui as tralhas da viagem.

DICA 17 – Se o seu bebê não se alimenta exclusivamente de leite materno, verifique se o destino escolhido vende o tipo de alimento necessário.

Passo #7 . Organizando a bagagem para a viagem com bebê

Um dos maiores aprendizados dessa viagem, com certeza, será viajar com mais de um item de bagagem.

Afinal, eu sempre me “gabei’ por viajar para todos os cantos com uma mala de rodinhas pequena, rsrsrs, mesmo que bem espremida.

DICA 18 – Se você tem alguma dificuldade em preparar malas de viagem “carregáveis”, não deixe de conferir as 10 dicas valiosas para diminuir a sua mala de viagem.

E, querendo ou não, um bebê exige uma série de “tralhas” que não são nada pequenas. É carrinho, bebê conforto, fraldas, manta, pomada. Vixe, cansei só de pensar.

Por isso, a bagagem é o item da viagem que mais está demandando a minha criatividade. No nosso caso, ela será composta por um carrinho, uma mochila de mão e uma malinha para despachar.

Carrinho

O carrinho irá nos acompanhar durante os trajetos e será despachado na porta do avião. Ele serve de berço e suporte para carregar a mochila de mão do bebê.

DICA 19 – Lembre-se de levar uma sacola de viagem especial para o carrinho. Caso vá despachá-lo no check in, proteja-o bem para que não sofra danos durante o transporte.

Mochila de mão

A nossa mochila de mão irá repleta de fraldas, tanto descartáveis quanto de pano, trocador, roupas extras para o bebê e para a mamãe, farmacinha, manta, toalha e, mais importante, almofada de amamentação.

DICA 20 – Prefira mochila para manter com as mãos livres.

DICA 21 – A almofada de amamentação pode ajudar a carregar o bebê no colo, caso ele vá dividir a poltrona contigo.

DICA 22 – Considere a duração da viagem mais pequenos imprevistos que podem atrasar o trajeto.

DICA 23 – Se vai viajar para fora do país e o seu bebê já se alimenta com sólidos, informe-se antes da viagem se as regras de imigração permitem o transporte de alimentos para bebê na bagagem de mão.

Mala

Na malinha para despachar, vamos incluir as roupinhas, mais fraldas, o canguru e itens adicionais.

DICA 24 – O canguru também pode ser um aliado para carregar o bebê no colo durante o voo e deixar os braços dos pais livres.

[Família reunida]
[Bebê no canguru]
DICA 25 – Não exagere na bagagem. Ela deve ser, antes de tudo, carregável.

DICA 26 – Não deixe de conferir essa lista do que levar na viagem com bebê do BabyCenter Brasil do que levar na mala.

Passo #8. Aproveitando a prioridade

Quando ainda estava grávida da pequena, viajei para os EUA com parte das vovós para dar uma relaxada. A nossa volta foi justamente naquela época do furacão (lembra?) e tivemos a sorte de pegar o último vôo saindo de Miami.

Por esse motivo, a fila do embarque estava enorme, um pouco caótica.

Eu, com aquele barrigão, já não aguentava mais ir de um lado a outro e não ter onde me escorar, rsrsrs. Foi aí que decidi me aproximar do balcão pra ver se eles não liberavam a minha entrada antecipada.

Nessa hora eu descobri que as grávidas têm prioridade de embarque lá fora também, mas isso não é anunciado como aqui no Brasil. Pessoas com bebês também!

DICA 27 – Faça valer o seu direito de prioridade.

Passo #9. O ritmo da viagem com bebê

Eu sempre digo que a natureza é muito sábia e nos prepara, corpo e alma, de uma forma divina para a maternidade.

Aquele barrigão que carregamos, não por acaso, nos obriga a um ritmo completamente diferente do que estamos acostumados. O peso adicional da gravidez e a mudança do nosso ponto de equilíbrio exige deixar a correria um pouco de lado e caminhar com mais tranquilidade.

E é justamente esse novo ritmo que irá fazer parte do dia a dia de papais e mamães após o nascimento do bebê. O(a) serumaninho(a) estará em constante processo de aprendizado. Tudo será encantador e exigirá um tempo muito maior para ser observado e assimilado.

DICA 28 – Planeje o seu trajeto e passeios com “folga”. Assim, você poderá curtir os passeios sem stress e ainda ter tempo de sobra para alimentar, trocar e dar um chamego no seu bebê.

Eu, que sempre viajei com hora marcada para tudo, deixei a agenda de lado. Nossos passeios serão escolhidos de acordo com o tempo disponível, em uma lista permeada de espaços naturais.

DICA BÔNUS – Carregue com você o endereço e o telefone do centro de saúde mais próximo de seu hotel. Caso a viagem seja internacional, tenha à mão o telefone do seguro saúde para ocorrências médicas.

Se jogue e divirta-se!

PSIU, MEGA IMPORTANTE: ajuda a espalhar esse artigo, seu amigo agradece!

Gostou do post e quer receber mais dicas de viagens baratas e descomplicadas com criança?

Cadastre o seu email e receba facilmente os novos conteúdos do Mariana Por Aí.

FIQUE POR DENTRO
Insira aqui o seu email e receba todas as novidades do Mariana Por Aí!
Mariana Menezes

Arquiteta por vocação, escritora por diversão, viajante apaixonada. Realiza viagens memoráveis com o melhor custo benefício há 11 anos. Quer te ajudar a fazer as viagens dos seus sonhos caberem no seu bolso, sem perrengue. Agora, com um ingrediente especial: nossa bebê!