Chile com bebê: quatro dias por Puerto Varas

Quer um lugar gostosinho para curtir uns dias de relaxamento?

Puerto Varas é o seu lugar.

A cidade, uma das mais conhecidas e bonitas da Região dos Lagos chileno, é considerada a porta de entrada para o sul gelado daquele país.

Por lá, parques nacionais, lagos de águas cristalinas, vindas do descongelamento de geleiras, e vulcões com picos nevados formam uma paisagem exuberante.

Roteiro por Puerto Varas com bebê
[Saltos del Petrohue]
É pra lá que você vai?

Então vem com a gente e se delicie com o nosso roteiro por Puerto Varas com bebê.

Roteiro por Puerto Varas com bebê

O último dia que planejamos em Pucon prometia bastante chuva. Por isso, decidimos adiantar a nossa saída para Puerto Varas, como contamos no nosso roteiro por Pucon com bebê.

Aproveitamos o horário da soneca da princesa, depois do café da manhã, para pegar o carro e percorrer os 320 km que separam as cidades.

No caminho, porém, decidimos por uma parada estratégica em Frutillar.

Nosso roteiro por Puerto Varas com bebê foi de quatro dia com direito a neve, lua cheia e um baita programa de índio.

Confere aí!

Dia #1. Frutillar

Estávamos super ansiosos para conhecer Frutillar, mais precisamente Frutillar Bajo, uma cidadezinha super charmosa que foi indicada por vários amigos que já estiveram na região.

Por isso, decidimos fazer uma parada estratégica no nosso caminho e ir direto ao lugar, onde “aportamos” pouco antes do almoço.

Fomos recebidos por um sol tímido. Que não demorou para se soltar e mostrar todo o seu esplendor.

Com ele, percorremos a pé todos os cantinhos do centro de Frutillar, um lugarejo às margens do lago Llanquihue que guarda com maestria traços da colonização alemã.

Frutillar
[Frutillar]
Os edifícios, cuidadosamente mantidos, são um caso de amor <3.

Além, é claro, dos charmosos cafés (não deixe de comer uma kuchen, torta típica produzida por lá), do lindíssimo pier e do grandioso e contemporâneo Teatro del Lago.

Teatro del Lago em Frutillar
[Teatro del Lago em Frutillar]
Você deve estar se perguntando o que leva um lugar tão pequeno a ter um teatro tão grande, não é verdade?

Bom, um dos destaques da cidade é a sua estreita relação com a música. Por isso, ela recebe festivais e importantes apresentações ao longo do ano. Entendeu agora?

Ahhh, nos disseram que um dos cartão postal de lá é a vista dos vulcões Osorno,  Calbuco e Puntiagudo. Pena que o dia estava nublado e não tivemos essa sorte…

Depois de almoçar e caminhar um pouco pelo lugar, saímos de Frutillar com vontade de ficar.

Mas, também, com vontade de curtir a piscina aquecida do hotel que reservamos de última hora. Somente para essa noite, rsrsrs.

Para chegar ao hotel, decidimos percorrer um caminho mais longo, pela costa, que nos pareceu mais interessante.

E acertamos em cheio! O trajeto foi lindo e repleto de paisagens incríveis.

A caminho de Puerto Varas
[A caminho de Puerto Varas]
Chegamos ao hotel Cabañas del Lago no final da tarde. O suficiente para curtir a linda e deliciosa piscina aquecida.

Piscina do Cabaña del Lago
[Piscina do Cabaña del Lago]
Após um banho super relaxante, com direito a uma passada rápida pelo ofurô, jantamos no restaurante do próprio hotel, com direito a centolla e tudo.

Hotel Cabaña del Lago
[Hotel Cabaña del Lago]
Mesmo que o preço fosse mais elevado, valeu super a pena! Pela comodidade de não precisar tirar a princesa dormindo do hotel. E com chuva…

Dados:

  • Todos os nossos passeios foram gratuitos.
Dia #2. RECONHECIMENTO

Começamos o nosso segundo dia por Puerto Varas realizando o checkin no nosso novo hotel, o Weisserhaus.

Como o dia amanheceu para poucos amigos, nublado e cinzento, aproveitamos para fazer um passeio de “reconhecimento” pela região.

Foi um dia bem leve e tranquilo, digno de uma viagem com bebê.

Demos uma volta pela cidade, incluindo lojinhas de souvenirs e praça principal.

Subimos o Monte Calvario que, diga-se de passagem, não tem muita vista para a cidade.

Monte Calvario
[Monte Calvario]
Caminhamos pela calçada Mirador, de onde se pode apreciar uma bela vista da cidade e do vulcão Osorno.

E finalizamos o dia no Sushi Bay, um restaurante japonês delicioso. Onde provamos pela primeira vez, o sushi com abacate que é bastante comum por lá.

Sushi Bay
[Sushi Bay]
Dados:

  • O hotel Weisserhaus está super bem localizado. Mas a estrutura deixou bastante a desejar, quarto um pouco velho e café da manhã pobre;
  • Todos os lugares que percorremos são de acesso gratuito. O Monte Calvario não valeu muito a pena, visto que as árvores impedem que vejamos o vulcão.
Dia #3. Pela Ruta 225

O nosso terceiro dia, como prometido pela meteorologia, amanheceu lindo e ensolarado.

Por isso, corremos para visitar os lugares que nos pareciam mais interessantes. Começando pelos Saltos del Petrohue, um conjunto de quedas d`água mágico, incrível, lindo, no caminho para Petrohue.

Saltos del Petrohue
[Saltos del Petrohue]
Os saltos estão localizados no interior do Parque Nacional Vicente Pérez Rosálesum dos parques mais antigos do Chile.

O acesso é super fácil. Basta parar o carro no estacionamento que está na mesma estrada de acesso, atravessar o edifício de entrada e percorrer alguns poucos metros em trilha (uns 5 min). Voilá, os saltos estarão à sua frente, bem pertinho mesmo.

A estrutura de acesso é muito boa, com várias passarelas de ferro e concreto que permitem fácil circulação por cima do rio e das pedras do local.

Nós aproveitamos que o sol ainda não estava iluminando as águas azuis turquesas do rio Petrohue para percorrer outra das trilhas do parque.

As trilhas são três, no total, todas bem fáceis, curtas e tranquilas de serem percorridas com o pacotinho pendurado, rsrsrs.

Saindo do parque, continuamos pela estrada em direção à Petrohue.

Diferente do que acreditávamos, não é um lugarejo, senão somente o porto de onde saem os passeios de barco pelo Lago de Todos los Santos, incluindo o Cruce Andino.

Como ventava muito, ficamos com receio de levar nosso pacotinho com os barcos pequenos, cujos passeios são mais acessíveis financeiramente.

E, por acharmos que o passeio pela Cruce Andino estava muito caro, decidimos não arriscar, com medo de ser do tipo turisticão.

Nos disseram que o passeio de barco pelo lago é fantástico. Foi recomendado por muitas pessoas que conhecemos. Se você estiver com um dinheirinho sobrando, talvez valha a pena arriscar.

De qualquer forma, valeu a pena curtir a vista do vulcão às margens do lago. Além disso, é interessante ver o impacto das lavas no local.

Saímos de Petrohue direto para o vulcão Osorno.

Vulcão Osorno
[Vulcão Osorno]
Depois de percorrer alguns quilômetros em uma sinuosa e íngreme estrada, chegamos à base do vulcão, de onde se tem uma visão completa e livre de toda a região.

De lá, pegamos o teleférico direto para o topo do vulcão, onde caminhamos um pouquinho pela neve. Nós curtimos o passeio, apesar do frio.

Vulcão Osorno
[Vulcão Osorno]
Adoramos observar toda a região do topo do vulcão!

Descemos do vulcão felizes, prontos para mais aventuras, rsrsrs.

Na estrada de volta para Puerto Varas, paramos para uma visita nada básica ao Hotel Awa.

Hotel Awa
[Hotel Awa]
Um hotel incrível, super especial, com uma arquitetura contemporânea e aconchegante.

E as vistas… Ahhhh, as vistas para o lago e o vulcão. Lindo de viver!

Um brasileiro nos conduziu por um passeio pelo hotel e nos mostrou todas as suas dependências, inclusive um quarto. Um luxo só! E para poucos bolsos, rsrsrs.

De volta a Puerto Varas, paramos para um “almojanta” no restaurante La Marca, indicado por uns amigos.

Restaurante La Marca
[Restaurante La Marca]
Pensem numa comida gostosa. O menu estava divino. Foi o único que conseguimos com comida típica chilena e o preço estava super acessível. Delícia!

Com as energias renovadas, fomos à beira do lago, de onde observamos o pôr do sol e o nascer da lua cheia. Um espetáculo da natureza oferecido para poucos, rsrsrs.

Lago Llanquihue
[Lago Llanquihue]
Para fechar o dia com chave de ouro, tomamos um delicioso chocolate quente italiano, super cremosos no Café Mawen.

Café Mawen
[Café Mawen]
Dia lindo, completo e indescritível. Só vivendo pra crer!

Dados:

  • Os Saltos del Petrohue ficam no km 64 da Ruta 225, Parque Nacional Vicente Perez RosalesPuerto Varas, Chile;
  • Pagamos 4.000 pesos por pessoa para acessar os saltos. Ah, o estacionamento você paga a parte: 1.500 pesos pelo carro;
  • Em Petrohue há estacionamento gratuito, apesar de não ser fácil encontrá-lo. Você deve seguir pela estradinha até o final. Não se acanhe com os muitos pedidos para você parar pelo caminho;
  • O passeio pelo Lago de Todos los Santos pode ser feito tanto pelos barcos pequenos, contratados no local, quanto pela empresa Cruce Andino. Esse último pode ser contratado em Puerto Varas, com direito a deslocamento, ou diretamente em Petrohue;
  • O acesso ao topo do vulcão Osorno pode ser feito de várias formas, incluindo a pé, por bicicleta ou teleférico. Esse último é dividido em dois tramos. Para ambos, o valor é 16.000 pesos por pessoa. Não vale a pena, na nossa opinião, subir somente a primeira parte, que custa 12.000 pesos;
  • Para subir ao topo, vá bem agasalhado, com bota impermeável e que permita escalada. É bem íngreme, coberto de neve e venta bastante;
  • Os passeios e atividades oferecidos no vulcão você pode conferir aqui.
Dia #4. Programa de índio

No nosso segundo dia por Puerto Varas, fomos ao Centro de Informações Turísticas, localizado na beira do lago, para analisarmos as possibilidades de passeios pela região.

Como opções, além dos tradicionais pontos turísticos, eles nos indicaram ir até Ralun OU seguir até o final da Carretera Austral, passando por Puerto Montt.

“Dá para ir por um lado e voltar pelo outro. Assim, podemos curtir os dois trajetos!” Pensamos. Um baita erro!

Primeiro, descobrimos que o trajeto por Puerto Montt não era nada bonito. Nadica de nada!

E, após atravessar de balsa a Carretera Austral, descobrimos que a maior parte do caminho até Ralun era em estrada de cascalho.

Balsa da carretera Austral
[Balsa da carretera Austral]
Pensa num trajeto longo! Affff

Para o nosso alívio, a paisagem era linda. E o pacotinho ficou super bem.

Os pontos altos da estrada foram, com certeza, o Lago Tagua Tagua e a chegada a Cochamó.

Lago Tagua Tagua
[Lago Tagua Tagua]
Valeu a pena? Valeu, claro. Viajar sempre vale a pena. E descobrir novos lugares mais ainda.

Eu recomendo? Recomendo o trajeto de Puerto Varas ao Parque Tagua Tagua, se você estiver com tempo disponível e em alta ou média temporada. De preferência, com uma parada para dormir pela região.

Como não podia deixar de ser, fizemos um super achado pelo caminho, a cervejaria Malta Chocolate.

Cervejaria Malta Chocolate
[Cervejaria Malta Chocolate]
Um lugar super agradável para curtir, com calma, a vista do vulcão Osorno e de quebra tomar uma cervejinha produzida por lá.

Dia #5. Termas Geométricas

O nosso quinto dia foi de estrada pela manhã, em direção às famosas e indescritíveis Termas Geométricas, como contamos no nosso post com o roteiro por Pucon com bebê. Imperdível!

Destaques

Trajeto

Para não encarecer o aluguel do carro, decidimos pegá-lo e entregá-lo no mesmo lugar, o aeroporto de Temuco.

Por isso, tivemos a oportunidade de escolher passar pelas Termas Geométricas na volta.

Como o nosso ônibus de volta para Santiago saía somente à meia noite, tínhamos bastante tempo disponível.

Aproveitamos para dar uma voltinha por Pucon e comer outra tortinha no Café de La P, como contamos aqui.

No trajeto do aeroporto à rodoviária, ainda tivemos tempo para um jantar no incrível restaurante La Pampa, em Temuco.

Ah, há pedágio pelo caminho. Algo em torno de 1.400 pesos cada um.

Clique aqui para acessar o mapa completo do nosso roteiro por Pucon com bebê.

Câmbio

O câmbio em Puerto Varas estava bastante razoável. Ainda demos a baita sorte do dólar ter subido enquanto estávamos por lá.

Parque tagua tagua

Para curtir o Parque Tagua Tagua é necessário realizar reserva prévia.

Chegar até ele não é muito fácil. Além do percurso em estrada de cascalho, o trajeto inclui uma balsa entre os portos Canelo e Maldonado. Certifique-se dos horários da balsa antes de ir.

Dá uma olhada no trajeto aqui.

O que deu certo

Sair para Puerto Varas um dia antes foi um acerto. Primeiro por que por lá não chovia. Segundo, por que pudemos aproveitar as deliciosas águas do hotel Cabaña del Lago.

Mas, reservar o dia mais ensolarado para o vulcão Osorno e os Saltos del Petrohue foi o maior acerto de toda a viagem! Não deixem de conferir a previsão do tempo.

O trajeto de volta, com paradas nas Termas Geométricas, em Pucon e em Temuco também deu super certo. A volta de ônibus foi super tranquila, assim como a ida. Valeu a pena!

O que faríamos diferente

Com certeza, viajando em baixa temporada, reservaríamos um hotel com cancelamento gratuito. Vimos que haviam hotéis melhores com preço promocional. Infelizmente o nosso não permitia cancelamento…

Ah, e não daria a nossa volta programa de índio passando por Puerto Montt. Teria, com certeza, ido direto para o Parque Tagua Tagua, com uma noite para curtir o lugar.

 

PSIU, MEGA IMPORTANTE: ajuda a espalhar esse artigo, seu amigo agradece!

Gostou do post e quer receber mais dicas de viagens baratas e descomplicadas com criança?

Cadastre o seu email e receba facilmente os novos conteúdos do Mariana Por Aí.

FIQUE POR DENTRO
Insira aqui o seu email e receba todas as novidades do Mariana Por Aí!

Mariana Menezes

Arquiteta por vocação, escritora por diversão, viajante apaixonada. Realiza viagens memoráveis com o melhor custo benefício há 11 anos. Quer te ajudar a fazer as viagens dos seus sonhos caberem no seu bolso, sem perrengue. Agora, com um ingrediente especial: nossa bebê!