Chile com bebê: dois dias por Santiago

Nosso roteiro por Santiago com bebê

Nos despedimos do Chile pela cidade que nos acolheu: Santiago.

Não esperávamos muito da capital. Na verdade, o feedback de muitos amigos não foi positivo.

Por isso, decidimos ficar apenas dois dias por lá.

Felizmente, Santiago foi uma grata surpresa. De verdade!

Roteiro por Santiago com bebê
[Teleférico Parque Metropolitano]
Nossos dois dias resultaram serem poucos para todas as maravilhas (leia-se, principalmente, parques e restaurantes, kkkkk) que a cidade tem a oferecer.

Voltamos com um super gostinho de quero mais.

Quer saber por quê?

Aqui te conto tudinho, em detalhes. 

Com vocês, a nossa última parada no Chile: Santiago!

Roteiro por Santiago com bebê

Os nossos últimos dois dias de viagem foram pela cidade que nos recebeu: Santiago.

Como eu contei no nosso manual prático com 28 dicas essenciais para planejar uma viagem com bebê, nós preferimos sempre passar um tempo de “descanso” nas cidades de conexão obrigatória.

Por isso, fizemos um roteiro por vinícolas chilenas com bebê na ida, e decidimos curtir Santiago na volta.

Nosso roteiro por Santiago com bebê foi de dois dias, com direito a muitos parques e barriguinha cheia, rsrsrs.

Espia só!

Dia #1. Lastarria

Nossos dias por Santiago começaram no Terminal Alameda, onde chegamos após uma viagem tranquila vindos de Temuco.

Do terminal, pegamos o metrô (cuja estação, por incrível que pareça, não era acessível) e nos dirigimos ao bairro Lastarria.

Como chegamos muito cedo ao apartamento onde nos hospedaríamos, o Rukasa Lastarria, fomos “obrigados” a dar uma passeio, meio sem rumo, pelas redondezas.

Foi assim que descobrimos que o bairro que nos hospedou era um misto delicioso de gastronomia e arte. Um centro gastronômico cool, por assim dizer.

Durante o nosso mini roteiro sem rumo certo, conhecemos a estação de metrô Bellas Artes, com seus grafites.  E encontramos uma obra de Botero pelo Parque Florestal, junto ao Museo Nacional de Bellas Artes.

Parque florestal
[O pacotinho com Botero]
No japonês Republica Nikkei,  almoçamos a melhor sopa Miso da vida, com o prato típico local, o Okonomiyaki. E, o melhor, vendo uma fila gigantesca, descobrimos o maravilhoso e super barato New Horizon, que foi a nossa super opção de jantar.

República Nikkei
[Okonomiyaki na República Nikkei]
Passamos pela loja Miniatura, cheia de coisinhas lindas e descoladas para bebê, localizada no pátio interno de um edifício antigo das redondezas.

E, por último antes do checkin, caminhamos pela linda praça de acesso ao Museo de Artes Visuales (MAVI).

A tarde, saímos para conhecer o pouco charmoso centro, com a Plaza de Armas e os calçadões das ruas Ahumada e Huérfanos.

Antes de voltar para o apartamento, jantamos no delicioso, incrível, espetacular indiano New Horizon. O lugar é super pequeno e simples, sempre tem fila (sempre mesmo!) mas vale muuuuito a pena.

Pensa num frango ao curry de lamber os beiços. E o chicken masala?! Jesus, salivando só de lembrar. Indescritível!

Dados:

  • Todos os passeios foram gratuitos;
  • Rukasa Lastarria é um apartamento. Nos atendeu bem, mas achei a manutenção do apartamento muito ruim. Faltavam lâmpadas e limpeza;
  • Almoço e jantar custaram em torno de $4.000 pesos cada por pessoa.
Dia #2. Cerro San Cristóbal

Começamos o nosso segundo dia dando uma voltinha de reconhecimento pelo Centro de las artes, la cultura y las personas Gabriela Mistral, que ficava ao lado do apartamento.

Centro Gabriela Mistral
[Centro Gabriela Mistral]
Pensa num edifício incrível! Arquitetura super contemporânea, acolhedora, pública. Com fechadas em concreto e aço corten.

Lá, pegamos o metrô em direção ao Cerro San Cristóbal. Não descobrimos antes a subida pelo funicular, cujo acesso estava bem pertinho do nosso apartamento.

De qualquer forma, curtimos muito a caminhada pelo bairro entre a estação Pedro de Valdivia e a estação Oasis do Teleférico Metropolitano. Um bairro residencial super charmoso e agradável.

Cerro San Cristobal
[Cerro San Cristobal]
Depois de uma manhã super agradável curtindo as vistas do cerro, fomos para o Mercado Central, na intenção de comer centolla. O que, na nossa opinião, não vale o que custa…

Mercado Central de Santiago
[Centolla no Mercado Central]
Além da centolla, comemos o que nos disseram ser a maior iguaria chilena: locos. Não sei se foi pela preparação do restaurante, mas me pareceram duros e insossos. E caros!

Mercado Central de Santiago
[Locos no Mercado Central]
Após uma relaxada rápida no apartamento, passeamos pelo Pátio Bellavista, um centro de gastronomia, cultura e entretenimento agradável, bonito e bem estruturado no bairro de mesmo nome.

Pátio Bellavista
[Pátio Bellavista]
E pelo parque Florestal, a caminho de casa.

Parque Florestal
[Parque Florestal]
Na volta, pegamos uma pad thai para comer no apartamento. O escolhido foi o Thai Street Food, um restaurante tailandês delicioso e barato que encontramos pelo caminho do New Horizon. Desses lugares que a gente gosta de encontrar, parar e se deliciar.

Thai Street Food Santiago
[Thai Street Food Santiago]
Dados:

  • Teleférico de acesso ao Cerro San Cristóbal: $3.010 por pessoa ida e volta;
  • Prato de centolla com salada: $12.000 pesos;
  • Prato com três locos: $8.000 pesos;
  • Pad thai: $4.000 pesos;
  • Demais atrações gratuitas.

Destaques

serviços

O metrô de Santiago chega a quase todo canto e é limpo e tranquilo (fora do horário de pico). Possui tarifas diferenciadas dependendo do horário. E, infelizmente, nem todas as estações são acessíveis.

Para pegar qualquer ônibus na cidade, é necessário ter em mãos o cartão de transporte público local. Não é possível pagar a passagem com dinheiro, o que só descobrimos ao tentar entrar no bus. Com pena, o motorista nos levou até o Mercado Central.

levando dólares (atualização)

Nós fizemos as contas, ainda no Brasil, e decidimos levar dólares durante a viagem.

E foi um super acerto!

Não só por que conseguimos ganhar um pouquinho a mais encima de cada real gasto (foi bem pouquinho).

Senão por que pagando os hotéis em dólares você, como turista, não precisa pagar o adicional de 19% de imposto sobre serviço.

Isso mesmo, se você pagar o hotel em pesos eles, obrigatoriamente, te cobram um adicional de 19% sobre a tarifa contratada.

O que deu certo

Nós adoramos a cidade. Caminhar pelas ruas do bairro Lastarria foi super agradável. 

A cidade está repleta de parques que tornam o caminhar muito leve e tranquilo.

O que faríamos diferente

Escolhemos nos hospedar em um apartamento, o Rukasa Lastarria, para testar vários tipos de hospedagem com o pacotinho.

Apesar de gostarmos de poder curtir o cafe da manhã em vários lugares diferentes, a comodidade de dispor do café no próprio hotel é imbatível. Considerando, principalmente, que não temos pressa para sair com o pacotinho. Mas que a minha fome não se dá conta disso, rsrsrs.

Além disso, tivemos que esperar até o último minuto do horário do checkin para entrar, eles não nos deram nenhuma folga… Mesmo com o pacotinho.

Por isso, trocaríamos a hospedagem. Mas não a sua localização.

 

PSIU, MEGA IMPORTANTE: ajuda a espalhar esse artigo, seu amigo agradece!

Gostou do post e quer receber mais dicas de viagens baratas e descomplicadas com criança?

Cadastre o seu email e receba facilmente os novos conteúdos do Mariana Por Aí.

FIQUE POR DENTRO
Insira aqui o seu email e receba todas as novidades do Mariana Por Aí!

Mariana Menezes

Arquiteta por vocação, escritora por diversão, viajante apaixonada. Realiza viagens memoráveis com o melhor custo benefício há 11 anos. Quer te ajudar a fazer as viagens dos seus sonhos caberem no seu bolso, sem perrengue. Agora, com um ingrediente especial: nossa bebê!